Defesa Civil faz primeira reunião para explanar o trabalho de prevenção contra enchentes e deslizamentos

22/11/2017 11:19:04

 Ontem, dia 22 de novembro, nas dependências do gabinete do Prefeito , o responsável pela Defesa Civil do município, orgão vinculado ao Departamento de Governo do Estado de São Paulo, realizou a primeira reunião com membros da sociedade civil e assessores municipais para explanar ações de procedimento para uma situação de urgência e emergência em caso de enchentes e deslizamentos no município.

Nesta reunião foram apresentadas as estratégias de ações da chamada cidades Resilientes, ou seja, “capacidade de um sistema, comunidade ou sociedade exposto a riscos de resistir, absorver, adaptar-se e recuperar-se dos efeitos de um perigo de maneira tempestiva e eficiente, através, por exemplo, da preservação e restauração de suas estruturas básicas e funções essencial”.

Segundo o coordenador local , o objetivo proposto da Defesa Civil é contribuir com o aumento da resiliência em contextos locais e nacionais através da promoção da integração da abordagem de gestão de risco no processo de desenvolvimento e, para isso, explicou o Plano Preventivo de Verão da Defesa Civil do município, como por exemplo, fica a cabo do Fundo Social de Solidariedade a providenciar roupas e cobertores, a secretaria de Educação e Cultura disponibilizar espaços nas escolas municipais para receber desabrigados, dentre outras ações de emergência para cada pasta, além de informar aos participantes as respectivas áreas de risco em nosso município e também da importância dos membros nos casos de emergência e como atuarem.

 “Temos esse problema há mais de 30 anos na cidade, uma vez que a cidade foi construída sem planejamento desse contexto e agora precisamos tratar de assuntos relacionados à situação de urgência e emergência em caso de enchentes e deslizamentos. O novo plano diretor deverá trazer essa discussão em pauta”, salientou o Prefeito .

 O município registrou por meio do pluviômetro instalado no Centro, informações em tempo real da última  forte chuva do dia 27 de outubro o total de 48,5 milímetros, disse o coordenador local da Defesa Civil . Em outros pontos onde há pluviômetro instalado como no bairro da Barragem, o índice foi de 36 milímetros nesse dia.

Informou ainda que em 2016 o índice de chuva acumulado foi de 180 milímetros e em 2017 foi de 169 milímetros até hoje. O coordenador informa que uma área entra em estado de alerta se registrar 80 milímetros de água de chuva por dia.

 Como se mede o índice de chuva?

O índice pluviométrico refere-se à quantidade de chuva por metro quadrado em determinado local e em determinado período. O índice é calculado em milímetros. Se dissermos que o índice pluviométrico de um dia, em um certo local, foi de 2mm, significa que, se tivéssemos nesse local uma caixa aberta, com 1 metro quadrado de base, o nível da água dentro dela teria atingido 2 mm de altura naquele dia. Para chegar a esse índice, as centenas de estações meteorológicas espalhadas pelo país utilizam um aparelho conhecido como pluviômetro. Há vários modelos diferentes, mas o instrumento constitui-se, basicamente, do funil de captação e básculas que enviam sinais elétricos para uma estação meteorológica. Com base em todos os aparelhos instalados na cidade, é possível chegar à média da precipitação observada na área total. Quando escutamos que choveu 7 milímetros na cidade, por exemplo, significa que essa seria a altura média alcançada pela água a partir do chão, na área total da cidade em determinado período de tempo.
Por fim, os diagnósticos que permitem afirmar que choveu mais ou menos do que o esperado para a semana ou o mês estão relacionados com gráficos elaborados com base na média de chuva em cada período.

Fonte: http://www.inpe.br/acessoainformacao/node/402

Voltar

Fotos

LOCALIZAÇÃO
Praça John Kennedy, S/N - Centro
Palácio das Águas - CEP: 13930-000
Serra Negra, SP - (19) 3892-9600
Horário de Atendimento ao Público: as 13:00 as 18:00
CANAIS OFICIAIS
           
Logo Desenvolvido por Frequência