Open/Close Menu

Informações para Contato

Praça John Kennedy, S/N - Centro
Palácio das Águas - CEP: 13930-000

Telefone
Horário de Atendimento ao Público

8h às 17h

Um levantamento das Secretarias Municipais de Saúde de Serra Negra, Lindóia, Águas de Lindóia, Monte Alegre do Sul e Amparo, cidades que integram o Circuito das Águas, conforme classificação do Departamento Regional de Saúde (DRS) VII, apontam que a região possui condições de estar, no mínimo, na Fase 2 - Laranja ou até na Fase 3 - Amarela, do Plano São Paulo de retomada econômica em função da pandemia do novo coronavírus, e não na Fase 1 - Vermelha.
De acordo com o estabelecido pelo governo estadual na última sexta-feira, dia 3, as 42 cidades da DRS VII foram colocadas na zona vermelha. Desde o início da semana, os prefeitos da região têm buscado uma reclassificação com base nos dados levantados, uma vez que, segundo o próprio Plano SP dá autonomia para que prefeitos diminuam ou aumentem as restrições de acordo com os limites estabelecidos pelo Estado, desde que apresentem os pré-requisitos embasados em definições técnicas e científicas.
Os prefeitos do Circuito das Águas participaram de reuniões entre eles na noite do dia 6, na Prefeitura de Monte Alegre do Sul e na tarde de terça-feira, 7, no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, com o secretário executivo de Desenvolvimento Regional.
Para esta quinta-feira, 9, está programado outro encontro dos prefeitos, desta vez com o secretário de Desenvolvimento Regional, com a presença de um deputado estadual.
De acordo com o prefeito de Serra, “não se trata de afrontar ninguém, e sim mostrar que nossa realidade é diferente da qual estamos sendo classificados, conforme os números comprovam”.
O estudo dos municípios encaminhado ao governo estadual na quarta-feira, 8, apresenta os cálculos levando-se em conta como a primeira semana dos dias 22/06/2020 a 29/06/2020 e da segunda semana o período de 30/06/2020 a 07/07/2020:

  30.06/07.0722.06/29.06   
CRITÉRIOINDICADORQTDQTDTAXAPESOZONA
Capacidade do Sistema de SaúdeOcupação Leito UTI COVID Santa Casa Anna Cintra45%VERDE
 
Leitos UTI / 100.000 hab221,3616,174VERDE
CRITÉRIOINDICADORQDEQDETAXAPESOZONA
Evolução da EpidemiaNº novos casos 7 últimos dias / Nº casos 7 dias anteriores69641,073AMARELA
      
Nº internações 7 últimos dias / Nº internações 7 dias anteriores20191,052LARANJA
      
Nº óbitos 7 últimos dias / Nº óbitos 7 dias anteriores120,53AMARELA

Considerando os critérios para análise das zonas de risco propostos pelo Governo do Estado de São Paulo;

Considerando os Leitos de UTI dedicados a pacientes Covid no setor público e privado a Nível Circuito das Águas (Referência UTI Santa Casa Anna Cintra - em Amparo);

Considerando os dados relativos à evolução da epidemia, apresenta-se a seguir o panorama do Circuito das Águas:

Em relação ao Critério CAPACIDADE DO SISTEMA DE SAÚDE, no que tange:
  • Indicador OCUPAÇÃO DE LEITOS a região se encontra na:
Zona 4 – Abertura parcial, Abaixo de 60%, pois apresenta taxa de 45%;

  • Indicador LEITOS DE UTI a cada 100K HABITANTES, a região se encontra na:
Zona 4 – Abertura parcial, acima de 5,0 pois apresenta taxa de 16,17

No que se refere ao Critério EVOLUÇÃO DA EPIDEMIA, no que tange:
  • Indicador dos NOVOS CASOS a região  encontra-se na:
Zona 3 – Flexibilização, entre 2,0 e 1,0, pois apresenta taxa de 1,07;

  • Indicador dos NOVAS INTERNAÇÕES a região encontra-se na:
Zona 2 – Controle, entre 1,5 e 1, pois apresenta taxa de 1,05;

  • Indicador dos ÓBITOS a região encontra-se na:
Zona 3 – Flexibilização, entre 1 e 0,5, pois apresenta taxa de 0,5.

“Assim, observando-se a média de peso das taxas do Plano de Retomada das atividades constata-se que o CIRCUITO DAS ÁGUAS encontra-se dentro da Zona 3 – FLEXIBILIZAÇÃO, contudo, de forma prudente e considerando a evolução da epidemia, é possível estabelecer Plano de Retomada das Atividades dentro da ZONA 2 – CONTROLE, sem qualquer dúvida”, conclui o estudo.
COMPARTILHE: